Início > Parasitologia > Teníase > Patogenia

Patogenia

A T. sollium pode ser transmitida para os humanos de duas formas, cada qual com consequências distintas: teníase e cisticercose. Já a T. saginata causa apenas teníase.

O ser humano adquire teníase a partir da ingestão de carne suína ou bovina, crua ou mal cozida, onde existam cisticercos de T. sollium ou de T. saginata respectivamente. Os cisticercos recebem estímulo do suco duodenal alcalino e sofrem desevaginação. O verme amadurece até a forma adulta, se aloja no intestino e elimina proglotes que são eliminadas nas fezes. As proglotes da T. sollium são eliminadas passivamente nas fezes, enquanto as proglotes T. saginata possuem movimento próprio e podem ser eliminadas independe da evacuação.

A cisticercose acontece se ocorrer ingestão dos ovos da T. sollium. Neste caso, embriões hexacantos são liberados dos ovos, penetram na parede intestinal, atingem a circulação sanguínea, se alojam em locais como sistema nervoso central, tecido subcutâneo e tecido muscular esquelético e formam cisticercos. Os indivíduos com teníase por T. sollium podem desenvolver cisticercose a partir da autocontaminação por ovos, causada por hábitos inadequados de higiene.

A imunidade nas teníases e cisticercose são, em geral, mediadas pela ativação dos linfócitos TH2, a qual resulta na produção de anticorpos IgE e na ativação de eosinófilos.